Retiro da Melhor Idade

Retiro da Melhor Idade

De 13 a 16 de Fevereiro de 2020, realizaremos nosso primeiro Retiro da Melhor Idade! Será no Hotel Mantovani em...
Read More
Acampamento JNI 2020

Acampamento JNI 2020

As inscrições estão abertas para o próximo acampamento da JNI Os jovens e convidados da nossa igreja sairão de 21...
Read More

Parcimônia

Parcimônia. Essa é uma palavra fundamental para o uso das redes sociais. Com   responsabilidade, clareza, veracidade. Recebi uma mensagem da pastora e jornalista Rose Guglielminetti, cujo tópico era “detox da língua”. Tomo esse gancho para dizer “detox dos dedos”. No mundo digital no qual vivemos, participando de vários grupos, dando nossa opinião, ouvindo, repassando, precisamos fazer algumas ponderações, precisamos controlar nosso impulso de dedilhar o teclado.

Um dos Fruto do Espírito é domínio próprio. “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio.” (Gálatas 5:22). Em tempos como os de hoje, devemos exercer esse dom de maneira atuante com relação ao que escrevemos, repassamos ou mesmo lemos. Quando usada para nosso favor, bem como do próximo, de maneira sensata, sem dúvida, temos uma ferramenta de uso excelente para desenvolvermos a obra de Deus. Jesus usou a metodologia das parábolas para explicar Seus ensinamentos. Certamente não mais nos desligaremos das redes sociais, que só se modernizam, avançam e cada vez mais faz parte do nosso cotidiano. Mas devemos fazer um “detox” diário para sabermos o que ler, repassar, publicar, opinar. Já repassei as chamadas “fake news“, cumprimentei data natalícia de quem já morreu, repassei frases bonitas, mas que não têm fundamento em sua origem, tudo por precipitação, por falta de atenção, às vezes, até mesmo por ansiedade em compartilhar. É nesse aspecto que devemos fazer o “detox” de nossos dedos. Concordo com a pastora Rose, sobre o “detox da língua”, acrescento esse outro, que, em nosso tempo moderno, de comunicação rápida, tem causado constrangimento muitas vezes, na família, na igreja, no ministério, na sociedade em geral.

Como cristãos temos que ter uma rede social limpa, verdadeira, abençoadora, pois esse é o nosso testemunho de vida. No século da informática, da inteligência artificial, da robótica, entendemos que “Jesus é o mesmo, ontem, hoje e para sempre” (Hebreus 13:8). Seus princípios valem também para o mundo virtual.

Sejamos parcimoniosos nessa área de nossa vida.