Louvor, adoração e obediência

Louvor, adoração e obediência. Quando olhamos para o milagre de Jesus em Caná da Galiléia, notamos esses elementos da vida cristã nas atitudes do Senhor, nesse acontecimento.

O que notamos é que o Senhor estava em uma festa, em alegria. Certamente conversava sorrindo com aqueles que estavam à Sua volta. Isso é reflexo de uma vida de louvor e adoração ao Pai Celestial.

Quando estamos com essa comunhão, em todas as circunstâncias, mantemos o foco na missão que foi designada para nós. É o estilo de vida que nos faz caminhar em direção à eternidade, pois João viu no livro de Apocalipse: “Os vinte e quatro anciãos prostravam-se diante do que estava assentado sobre o trono, e adoravam ao que vive pelos séculos dos séculos; e lançavam suas coroas dizendo: Tu és digno Senhor nosso, de receber a glória, a honra, e o poder, porque todas as coisas tu criastes, sim por causa da tua vontade e vieram a existir e foram criadas.” (Apocalipse 4:11). Na eternidade, haverá alegria e celebração. Hoje, que nós possamos ter esse estilo de vida já antecipando as bênçãos eternas. Certamente é um exercício diário, pois lutamos com nossa raiz carnal, extremamente auto piedosa, que nos afasta da alegria como fruto do Espírito e nos faz dizer como o apóstolo Paulo “Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado, como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome, tudo posso naquele que me fortalece.” (Filipenses 4:11-13).

Também vemos que completa esse tripé a obediência. Maria faz um pedido a Ele, pois o vinho tinha acabado. Ele coloca as suas ponderações e pede que as talhas sejam cheias de água até a boca. Imediatamente Maria transmite aos serviçais “fazei tudo o que Ele vos disser.” (João 2:5). Vemos nesse momento uma dupla obediência, simultânea. Jesus atende Maria, e ela se submete à ordem dEle. Com isso, aprendemos um grande princípio: sermos obedientes ao Eterno e termos um relacionamento saudável com nosso semelhante. Como é bom louvarmos, adorarmos o Criador e segui-Io em obediência por tudo o que Ele faz por nós e — por nos ensinar o amor ao próximo.

Que o Senhor nos abençoe com todo tipo de bênçãos, assim na terra como nos céus.