Amor incondicional

Quando estudava no Seminário e Instituto Bíblico Nazareno, numa das aulas do Rev. Fernando Sá Nogueira, foi pedido um trabalho sobre o versículo de João 3:16, considerado resumo de todo o projeto de restauração do homem que se afastou do paraíso, do SENHOR, pelo pecado de desobediência. Escrevi um longo texto no qual constava a seguinte frase: “Como diz o conhecido versículo de João 3:16”. Na correção do trabalho, havia a seguinte anotação do Rev. Sá Nogueira: “Esse texto bíblico é bem conhecido por você, porém há milhares de pessoas que não conhecem o mesmo.” Entendi e aprendi a correção.

Pelo fato de termos nos familiarizado com esse versículo, de ser um dos primeiros a serem aprendidos – seja pelos pequenos ou pelos conversos -, muitas vezes não nos atentamos para a profundidade, para a força e para a beleza dele. João escreve “Porque Deus amou o mundo de tal maneira”, o que mostra o grande amor por aquilo que Ele criou, principalmente pelo homem, criado para louvor de Sua glória” (Efésios 1:16). Ele nos amou primeiro, jamais deixou que nada afetasse a Sua essência, porque Deus é amor.

João também escreve “Que deu Seu Filho Unigênito”. O único Filho de Deus foi dado para ser o remidor, o perdoador de nossos pecados, o reconciliador da criatura com o Criador, possibilitando que nos tornássemos filhos do Eterno, pelo Sangue derramado na Cruz do Calvário. Já “Para que todo o que Nele crê” demonstra a abrangência dessa frase: ninguém é excluído desse amor, porque Jesus morreu e ressuscitou por toda a humanidade. Ou seja, não existem privilegiados no Reino de Deus, todos são servos, filhos, discípulos do Rei dos reis, Senhor dos exércitos, Todo Poderoso e Criador dos céus e da terra.

“Não pereça, mas tenha a vida eterna”, por sua vez, explicita a profundidade do entendimento de que a morte foi derrotada e de que há esperança da vida eterna, realidade para quem crê, aceita esse amor, reconhece Jesus como Senhor e Salvador de sua vida e vive na obediência da palavra de Deus, guiado pelo Espírito Santo, vivendo, assim, a nova aliança do Senhor “Um novo mandamento vos dou, que vos ameis uns aos outros; assim conto Eu vos amei a vós, que também vós vos ameis uns aos outros” – João 13:14.

Essa relação é horizontal e vertical. Aquele que ama a Deus ama o seu próximo. Aquele que ama o próximo ama a Deus e também ama a si mesmo para fazer escolhas que melhorem o relacionamento com Deus. Portanto, ao decorarmos e conhecermos esse texto de cor, devemos nos lembrar dessa profundidade teológica, resumo de toda a Bíblia Sagrada.

Por isso, devemos falar e testemunhar dessa palavra e ensiná-la para que todos conheçam e tenham a oportunidade de encontrar-se com o Nosso Salvador o Senhor Jesus. É um profundo amor incondicional que sentimos da parte do nosso Deus. Encontramos a liberdade em servi-Lo, em amá-Lo, em obedecê-Lo, ao caminhar dia após dia debaixo de Sua Vontade. É pertencer à família do Senhor ao redor do mundo. Graças damos por esse amor incondicional.